Walter Miranda
Artista Plástico

Santo André realiza seu V Salão Jovem

1982
Arte/Crítica por Enock Sacramento
Diário do Grande ABC
26 de Setembro de 1982
http://www.fwmartes.com.br/imprensa/imagens/m16_u7_05022017-17-40-02_baixa.jpg

A presença de três artistas andreenses entre os cinco premiados do V Salão Jovem de Arte Contemporânea de Santo André, aberto a artistas de todo o país, mostra que as coisas estão mudando no panorama artístico do Grande ABC. Novos nomes estão surgindo em nosso ambiente artístico, alguns revelados pelo próprio Salão Jovem, criado em 1978 por Miller de Paiva e Silva exatamente com essa finalidade: dar oportunidade aqueles que não têm ainda acesso ás galerias comerciais de Arte de São Paulo.
No I Salão Jovem, dos três premiados, dois eram da região: Ronaldo Bertaco, de Santo André, e Antonio Carlos de Almeida Mattos, de São Caetano. No II Salão, Luiz Antonio Boralli, de Mauá foi um dos três artistas agraciados com o prêmio Cidade de Santo André, de natureza aquisitiva. A partir do III Salão os prêmios passaram a ser em número de cinco. Mattos voltou a ser contemplado com um deles. No IV dois prêmios ficaram na região atribuídos que foram a Renato Brancatelli, de São Caetano e Fátima Palerme, Nil e Paula Caetano, de Santo André que apresentaram uma magnífica criação em grupo: Transições Tubulares, hoje no acervo da prefeitura. Agora na V versão do Salão Jovem, temos mais três artistas de Santo André premiados: Fausto Ribeiro, Paula Caetano e Wilson de Oliveira Souza. Paula Caetano e Fátima Palerme, que integram o Grupo Forma Um Todo e Walter Miranda (este de São Paulo, mas com uma grande atuação na região), receberam ainda menções especiais que, por lapso, não constaram do catálogo.
A comissão julgadora do V Salão Jovem, constituída por Ismael Assumpção, Antonio Zago e Jair Glass, selecionou apenas 95 trabalhos para figurar na mostra que, por isso mesmo apresenta bom nível no conjunto. As obras premiadas mostram claramente a tendência do júri no sentido de valorizar o gráfico. Fausto Ribeiro apresenta-nos trabalhos realizados com pastel e lápis de cor. Paula Caetano está presente com três Intermezzos, com dois a lápis de cor e uma técnica mista, com referências á temática musical. Wilson de Oliveira Souza tem cinco obras, três realizadas em nanquim e ecoline e dois objetos. Em todos a preocupação de explorar as possibilidades plásticas do traço e de realizar uma obra sóbria e contemporânea.
Todavia, os trabalhos de maior impacto do Salão são os que receberam menções em lugar de prêmios: A Arte Objeto de Walter Miranda, e o trabalho experimental do Grupo Forma Um Todo, integrado por Fátima Palerme e Paula Caetano. Miranda inscreveu três trabalhos de grande força criativa e absolutamente atual: Xeque Argentino, Xeque Inglês, e Xeque-Mate, constituídos de três tabuleiros de xadrez com o mapa das ilhas Falklands/Malvinas orientais e ocidentais. Essas ilhas vão se aproximando na sequência para finalmente, ocuparem a área interna do xadrez no xeque-mate, em que as pedras, antes representadas por bandeiras argentinas e inglesas, pintadas em uma metade esférica, são substituídas por vidros de conteúdo vermelho identificados como ’’Sangue Argentino “ e “Sangue Inglês”, uma aguda crítica aos conflitos bélicos.

http://www.fwmartes.com.br/imprensa/imagens/m16_u7_05022017-17-40-42_baixa.jpg
Xadrez B

A obra experimental de Paula Caetano e Fátima Palerme tem o mesmo nível de criatividade, embora com enfoque completamente diferente. Esta obra de nítido sentido ritual vem sendo modificada por pessoas convidadas e interessadas. É, portanto, uma obra aberta, que prevê a participação do espectador. Sexta-feira ela foi por nós modificada, juntamente com o arquiteto Wilson Stanziani, de Santo André.
O Salão Jovem de Arte Contemporânea de Santo André tem o sabor das coisas espontâneas e a força das novas sensibilidades. Já se constitui num acontecimento importante do movimento artístico da Grande São Paulo. Não deixe de ver.

Walter Miranda
Ateliê Oficina FWM de Artes
Todos os Direitos Reservados.